Livro Império do Caos – leia ainda hoje

Você já leu o livro Império do Caos

O tabuleiro em que se dá o embate que resulta no mundo como conhecemos é o próprio mundo! Com seus 88 artigos publicados em livro neste Império do Caos, Pepe Escobar nos apresenta um mosaico desconcertante da coerência cataclísmica do advento global em curso do Império do Caos.

Livro Império do Caos - leia ainda hoje
Livro Império do Caos – leia ainda hoje

Em cena, o cinismo de neoliberalismos, de intervenções ditas humanitárias na Líbia, na Síria e na África, de listas de abate de Obama é corrosivamente aviltante. O espetáculo da jihad-ostentação em Saint Tropez, de magnatas “comprando” a água da Patagônia, da opulência sangrenta e repressiva na Península Árabe, de mortes tratadas como “dano colateral” no Grande Oriente Médio e na África é dos mais consternadores.
Os movimentos geopolíticos dos grandes jogadores do Novo Grande Jogo da Eurásia – China, Estados Unidos, Rússia, União Europeia –, que pouco a pouco substitui a dominação mundial dos Estados Unidos como única superpotência, envolvem força bruta, poços, oleodutos, gasodutos, trilhões de yuans, de dólares e de euros, terrorismos, reservas de ouro e moeda, bancos, estradas, portos, bolsas de valores, exércitos, rotas marítimas e terrestres, ferrovias, corporações, mercenários, guerras declaradas ou não e populações inteiras numa rede planetária muitas e muitas vezes espantosa.

Contudo, são essas alianças e disputas que hoje mesmo estão constituindo o tecido do novo sistema multipolar por onde vão circular os nutrientes econômicos, políticos, diplomáticos e culturais de um novo mundo que já sabemos estar a caminho, mas cujos prazos e custos mal podemos vislumbrar.
O tabuleiro em que se dá o embate que resulta no mundo como conhecemos é o próprio mundo! Com seus 88 artigos publicados em livro neste Império do Caos, Pepe Escobar nos apresenta um mosaico desconcertante da coerência cataclísmica do advento global em curso do Império do Caos.

Em cena, o cinismo de neoliberalismos, de intervenções ditas humanitárias na Líbia, na Síria e na África, de listas de abate de Obama é corrosivamente aviltante. O espetáculo da jihad-ostentação em Saint Tropez, de magnatas “comprando” a água da Patagônia, da opulência sangrenta e repressiva na Península Árabe, de mortes tratadas como “dano colateral” no Grande Oriente Médio e na África é dos mais consternadores.
Os movimentos geopolíticos dos grandes jogadores do Novo Grande Jogo da Eurásia – China, Estados Unidos, Rússia, União Europeia –, que pouco a pouco substitui a dominação mundial dos Estados Unidos como única superpotência, envolvem força bruta, poços, oleodutos, gasodutos, trilhões de yuans, de dólares e de euros, terrorismos, reservas de ouro e moeda, bancos, estradas, portos, bolsas de valores, exércitos, rotas marítimas e terrestres, ferrovias, corporações, mercenários, guerras declaradas ou não e populações inteiras numa rede planetária muitas e muitas vezes espantosa.
Contudo, são essas alianças e disputas que hoje mesmo estão constituindo o tecido do novo sistema multipolar por onde vão circular os nutrientes econômicos, políticos, diplomáticos e culturais de um novo mundo que já sabemos estar a caminho, mas cujos prazos e custos mal podemos vislumbrar.

saiba mais sobre o autor

Pepe Escobar (São Paulo, 1954) é um jornalista investigativo independente brasileiro, especialista em análises geopolíticas.

No Brasil, trabalhou para os jornais Folha de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Gazeta Mercantil,[1] além de ter publicado artigos na revista Carta Capital. Desde 1985 tem atuado como correspondente estrangeiro. Viveu em Londres, Paris, Milão, Los Angeles, Washington D.C., Bangkok e Hong Kong.

Mesmo antes dos ataques de 11 de setembro de 2001, dedicou-se a cobrir o arco que se estende do Oriente Médio à Ásia Oriental e Central, com ênfase nos aspectos geopolíticos e nas disputas das grandes potências por fontes de energia e recursos naturais. Como correspondente itinerante do site Asia Times Online, realizou alguns dos trabalhos que marcaram sua carreira. No Afeganistão, entrevistou o líder anti-talibã de Aliança do Norte, Ahmad Shah Massoud, semanas antes do seu assassinato. Menos de duas semanas antes do 11 de setembro de 2001, quando se encontrava em áreas tribais do Paquistão, foi publicado seu artigo, cujo título soa algo profético: Get Osama! Now! Or else … (‘Pegue Osama! Agora! Se não …’).Escobar também foi um dos primeiros jornalistas a chegar a Cabul após a retirada do Taliban. Mais recentemente, elaborou reportagens sobre Iraque, Irã, Ásia Central, Estados Unidos e China.

Tem colaborado com a RT, com os sites Sputnik  TomDispatch, Real News (TRNN) OpEdNews,  entre outros websites, programas de rádio e televisão, em vários continentes – da América à Ásia Oriental.

PESO 0.44 Kg
EDITORA Revan
I.S.B.N. 9788571065444
ALTURA 23.00 cm
LARGURA 16.00 cm
PROFUNDIDADE 1.00 cm
NÚMERO DE PÁGINAS 464
IDIOMA Português
ACABAMENTO Brochura
CÓD. BARRAS 9788571065444
NÚMERO DA EDIÇÃO 1
ANO DA EDIÇÃO 2016
AUTOR Escobar, Pepe

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *